Entrevista com a autora Renata Corrêa

Entrevista com a autora Renata Corrêa

Boa noite!

Hoje venho trazer uma entrevista com a autora Renata Corrêa para que conheçam um pouco mais sobre esta autora linda.

Renata por Renata:

Pisciana, dramática e chocólatra assumida. Renata dos Reis Corrêa nasceu em 04/03/1981 em Guimarânia, interior de Minas Gerais, e atualmente mora em Uberlândia-MG com o marido e os dois filhos, um casal de gêmeos. É médica oftalmologista por formação e uma apaixonada pela escrita, pelas histórias de amor e principalmente pelos finais felizes. Ama ler e é uma leitora voraz. Romântica incorrigível, procura sempre passar uma mensagem de esperança com suas histórias e gosta de destacar o poder da figura feminina. Já escreveu quatro romances e um livro de contos, sendo que “Contra todas as probabilidades”, seu romance de estreia, seu livro de contos “Amores e desamores” e “Um ano sabático”, foram publicados de forma independente, em ebook na Amazon. Seu segundo romance, “As coisas não são bem assim”, foi lançado pela editora Pandorga, em junho de 2017. Lançou ainda um livro de contos, “Sob os fogos de Copacabana”, juntamente com três outros escritores, em dezembro de 2017. Em julho de 2018 saiu seu romance, “De repente, tudo muda”, inédito, pela editora Pandorga.

Redes sociais
Fanpage no Facebook: Renata R. Corrêa – https://www.facebook.com/escritoraRenataRCorrea/
Instagram: Renata Corrêa (@renata_rcorrea)
Grupo: Leitores da Renata R. Corrêa https://www.facebook.com/groups/leitoresdaRenataRCorrea/
Site: https://www.autorarenatarcorrea.com/

Entrevista:
1) Quais foram suas motivações para tornar-se um escritor?

R: A maior motivação veio das leituras, pois desde criança sempre fui uma leitora voraz. Mas o que me fez realmente decidir que um dia escreveria profissionalmente foi ler Clarice Lispector. A escrita dela me encantou e me fez desejar me tornar uma escritora também.

2) Sobre o que você mais gosta de escrever?

R: Gosto de escrever romances contemporâneos, de falar sobre os dilemas da vida real, abordar temas relevantes e, principalmente, adoro passar mensagens de esperança com minhas histórias.

3) Como surgem as histórias e os personagens?

R: Muitos autores falam a mesma coisa, mas é a verdade: a maioria das histórias surgem prontas na minha cabeça, do nada. É como se os personagens aparecessem para mim pedindo para contar suas histórias. Acho que isso é dom.

4) Você cria uma rotina para a escrita?

R: Sim. Procuro escrever todos os dias, geralmente à noite, depois que meu filhos já foram dormir. Todos os dias me envolvo com algo a respeito do meu trabalho de escritora, nem que seja pegar um texto já pronto para revisar, ou escrever algo para meu blog. Esse exercício diário de escrita vai aperfeiçoando nossa forma de escrever. Também procuro sempre estudar sobre escrita e praticar o que aprendo.

5) Sua literatura tem a influência de algum escritor/poeta?

R: Acabo sendo muito influenciada, de alguma forma, por tudo que leio, vejo ou assisto. Gosto muito do Nicholas Sparks, da Jojo Moyes, Carina Rissi, e procuro aprender com eles, quando leio suas obras.

6) Durante o processo de criação ou na preparação, você tem algum costume ou hábito?

R: Gosto de ficar no silêncio, preciso de tranquilidade para me concentrar.

7) Quanto a suas obras, tem alguma que considere ter sido “a mais difícil” para ser escrita?

R: Não. Mas confesso que com o tempo estou ficando cada vez mais exigente comigo mesma, então hoje demoro mais para escrever, acho que isso faz parte do crescimento como autora.

8) Qual a importância da literatura em sua vida, na vida das outras pessoas? Ela pode influenciar uma nação?

R: Olha, a Literatura sempre foi parte muito importante da minha vida, desde criança, mas há 4 anos ela me salvou. Adoeci de tanto trabalhar nessa época, tive Síndrome de Burnout, uma doença que provoca um desgaste físico e emocional intenso, relacionada ao trabalho. Inclusive abordei o assunto no meu romance mais recente, “Um ano sabático”. E uma das partes do tratamento era encontrar algo que me desse prazer. Foi quando voltei a escrever, depois de muitos anos afastada da escrita. Escrevi meu primeiro romance, o “Contra todas as probabilidades”, a mais leve de minhas histórias, publicada inicialmente no Wattpad em 2014, depois lançada em ebook na Amazon em 2016. Escrever é lúdico, e terapêutico, ajudou-me muito a me curar. Salvou minha vida! Acredito sim que a leitura pode mudar o destino de uma Nação. Pessoas que têm o hábito de ler costumam ser mais questionadoras. A leitura é muito mais que prazer e entretenimento, é uma forma de conhecimento também, e de crescimento pessoal.

 

Renata e seus romances

Anúncios
Entrevista com a autora Glaycianne Costa

Entrevista com a autora Glaycianne Costa

Boa noite!

Trago a entrevista com a autora Glaycianne Costa.

A autora nos fala um pouco sobre si mesma:

Glay Costa se apaixonou por livros muito cedo e como consequência histórias começaram a surgir na sua cabeça.

Apaixonada por livros de motoclube  começou a publicar seu próprio livro no Wattpad. Devido ao enorme sucesso na plataforma está lançando seu primeiro livro na Amazon, “Incapaz” e já possui outros no forno.

Além de escritora é estudante,  resenhista literária e criadora do blog Book Maníacos sempre focando em apoiar a literatura nacional. Pensadora, dedicada, às vezes conselheira e sempre em busca de um novo mundo literário para se perder.

Entrevista:

1)Quais foram as suas motivações para tornar-se um escritor?
R: Sempre me interessei por livros, mas algumas histórias deixavam o final a desejar. Então, eu costumava imaginar o meu próprio final para os livros, até o dia em que eu finalmente decidi escrever minha própria história.

2)Sobre o que você mais gosta de escrever?
R: Romances em que mostra a superação dos personagens.

3)Como surgem as histórias? Os personagens?
R: Surgem através de músicas, algumas letras podem ser inspiradoras. E outros são inspirados na minha personalidade. (Risos)

4)Você cria uma rotina para a escrita?
R: Não, acredito que eu me tornaria superficial se criasse uma rotina. Prefiro que a inspiração e vontade de escrever venha sem que eu precise forçar, para que fique o mais natural possível.

5)Sua literatura tem influência de algum escritor/poeta?
R: Sim, Tillie Cole, J. Lynn, katie Mcgarry, Bella Jewel, Chantal Fernando.

6)Durante o processo de criação ou na sua preparação, você tem algum
costume ou hábito?
R: Costumo escutar alguma playlist aleatória.

7)Quanto as suas obras, tem alguma delas que considere “a mais
difícil” para ser escrita?
R: Todas são um desafio. Porque cada uma tem sua singularidade.

8)Qual a importância da literatura em sua vida, na vida das outras
pessoas? Ela pode influenciar uma nação?
R: A literatura ela inspira, posso até arriscar a dizer que ela salva.  De um jeito especial ela nos trás paz, conforto e esperanças de dias melhores.
20190828_221624

 

Entrevista com a autora Patricia Mendes

Entrevista com a autora Patricia Mendes

Boa noite!

Hoje trago a entrevista da autora Patricia Mendes.

Antes da entrevista conheçam uma pouco da autora por ela mesma:

“Sou escritora e estudante de Publicidade e Propaganda da PUC Minas, resido em Belo Horizonte – Minas Gerais tenho 22 anos, escrevo desde pequena.
O gosto pela escrita se tornou mais forte quando adolescente, me envolvi na música, espero um dia fazer sucesso, criei um canal no Youtube e tenho 1 livro lançado. Estamos na fase de relançamento do livro, gosto muito de escrever e ler, minha paixão é a arte.”

Entrevista:

1) Quais foram as suas motivações para tornar-se um escritor?

R: A principal motivação para me virar escritora foi uma autora que eu gosto muito chamada Paula Pimenta, e entre tantas outras coisas que me motivaram a seguir essa carreira foi o dia que cheguei e parei pra pensar que precisava colocar o que eu estava sentindo e foi então que comecei a escrever.

2) Sobre o que você mais gosta de escrever?

R: O que eu mais gosto de escrever são histórias, apesar do meu primeiro livro ter sido de poemas.

3) Como surgem as histórias? Os personagens?

R: As histórias surgem de uma inspiração, dos livros e filmes as vezes quando há o bloqueio de inspiração ouço uma música isso me inspira mais ainda.

4) Você cria uma rotina para a escrita?

 

R: Não crio exatamente uma rotina para escrita, pois estudo.  Escrevo nas oras vagas e quando me vem a inspiração, sempre levo um caderno comigo ou até mesmo anoto no celular caso surja alguma idéia para alguma história.

5) Sua literatura tem influência de algum escritor/poeta?

 

R: Sim! Como principal influência é a escritora Paula Pimenta, me inspiro bastante nela.

6) Durante o processo de criação ou na sua preparação, você tem algum costume ou hábito?

R: Por incrível que pareça gosto do silencio para escrever, gosto de ler algum livro antes também ou ouvir música pois a inspiração vem mais rápido.

7) Quanto as suas obras, tem alguma delas que considere “a mais difícil” para ser escrita?
R:Tenho só um livro, mas estou escrevendo um livro de romance e ele tem sido o mais difícil para min.

8) Qual a importância da literatura em sua vida, na vida das outras pessoas? Ela pode influenciar uma nação?
R:Quero um dia viver de livro, quero que a leitura chegue a todos, pois acho que a leitura traz conhecimento, aumenta o vocabulário, é uma influencia grande, quem lê acaba escrevendo certo e tem um vocabulário estendido, sempre pensei em levar a leitura para todos, tenho um projeto em mente espero um dia poder realizá-lo.
20190814_230149
Entrevista com o autor Agnaldo Alves

Entrevista com o autor Agnaldo Alves

Boa noite!

É com grande alegria que trago a entrevista com o autor Agnaldo Alves, recomeçando a Coluna Autor da Semana.

Espero que apreciem a entrevista!

Entrevista:

1) Quais foram as suas motivações para tornar-se um escritor?
R: Eu nunca tive uma motivação externa. Porém um dia senti que algo nascia dentro de mim e que precisava sair para o mundo. Foi quando Alice “EOTE” nasceu. Me vi na responsabilidade de contar a história de Alice.

2) Sobre o que você mais gosta de escrever?
R: Atualmente, venho trabalhando muito com romance e/ou comédia romântica. Embora tenha projetos de diversos gêneros. Só que os dois que eu mais gosto de me aventurar são Romance e Fantasia.

3) Como surgem as histórias? Os personagens?
R: Às vezes, uma palavra ou um trecho de um filme me faz ter mil ideias. Ou simplesmente ela surge do nada. E algumas vezes, me dedico a realmente criar algo que não esteja nesse parâmetro. A maioria dos meus personagens já nasce junto com a história. Porem alguns outros vêm surgindo aos poucos no decorrer da trama.

4) Você cria uma rotina para a escrita?
R: Tento traçar pequenos objetivos em certos projetos. Um exemplo foi no livro “A Estrela Dedicada a Você”. Quando a história estava para terminar, eu tracei um roteiro com os últimos capítulos. E que fugiram do controle, devo confessar.

5) Sua literatura tem influência de algum escritor/poeta?
R: O meio sempre nos influencia. E para cada gênero que me dedico a escrever, sinto que uma parte veio de cada escritor que já conheci virtualmente ou não. Entre muitos, gostaria de destacar J. K. Rowling e Rick Riordan (para meus livros de fantasia); Carina Rissi, Elaine Velasco, Nina Reis, Simone O. Marques e muitas mais (para meus livros de romance).

6) Durante o processo de criação ou na sua preparação, você tem algum
costume ou hábito?
R: Não sei, para ser franco nunca percebi. Exceto que eu anoto coisas vitais em folhas de caderno ou sulfite. Ou qualquer pedaço de papel em branco que esteja à minha mão. Claro que depois nunca sei onde eles vão parar (risos).

7) Quanto as suas obras, tem alguma delas que considere “a mais
difícil” para ser escrita?
R: No momento estou achando todas. Venho passando por um bloqueio criativo que já está me deixando louco. É o mais longo que já passei. Desde julho-agosto do ano passado. Vou pôr a culpa na faculdade e no meu trabalho sim (risos).

8) Qual a importância da literatura em sua vida, na vida das outras
pessoas? Ela pode influenciar uma nação?
R: Para mim, é uma realização. Vejo nos livros a cor que a realidade não me permite ter. É como eu sonhar acordado. Algumas pessoas percebo que possuem a mesma visão que a minha. Sim, vemos ao longo do tempo que a leitura exerce um poder sobre os povos. Para aqueles que acreditam fortemente, eles podem fazer tudo.

 

Snapchat-9969587

Treze – FML Pepper

Treze – FML Pepper

Boa noite!

Hoje trago a resenha do livro Treze da autora FML Pepper que tive o prazer de conhecer por causa do convite de parceria feito pela autora e sua assessoria.

Resenha:

Rebeca foi criada por sua mãe, Isra, após a morte de seu pai, para não acreditar no amor, nem nas pessoas e muito menos em Deus.
Ela sempre ajudava sua mãe, com os golpes, pois depois de todo o ocorrido com seu pai, foi o meio que sua mãe encontrou para sobreviverem.
Elas deviam muito para um agiota, Jean Pierre, e bolaram um último golpe, pagariam a dívida e teriam dinheiro para deixar o país.
Rebeca levava uma vida relativamente normal, a não ser pelos golpes, tinha uma única amiga, Suzy, e único amigo da família, da época que seu pai era vivo, o Galib.
Na véspera do último golpe, ou melhor, a beira de sua liberdade, Rebeca vai com Suzy a um parque de diversões ou o que restou dele sem saber porque a amiga resolveu se enfiar naquele fim de mundo. Ela fica muito brava quando descobre que Suzy queria se consultar com Madame Nadeje.
A cartomante dispara previsões para a vida de Rebeca, onde o número treze aparece sendo crucial, e ainda acrescenta:
“- Um raio pode cair duas vezes no mesmo lugar, menina — conclui, mirando meus olhos com intensidade… Aliás, pode cair quantas vezes forem necessárias.”
Será que Madame Nadeje está certa?
Rebeca nunca esteve tão em dúvida, seguir ou não as previsões da cartomante? Qual será o futuro de Rebeca e de Isra?

Ela resolve não acreditar nas previsões e como se fosse coadjuvante de seu destino as vê se realizarem uma a uma.
Porém, a única que ainda não havia se realizado era a do número 13, ou melhor o 13° namorado, a sua salvação.

Karl é um excelente lutador de MMA, após a luta que o levará a defender o cinturão, no meio de tanta euforia, percebe que sua namorada não apareceu e decide ir atrás dela. Contudo, quando chega em seu apartamento descobre que ela já está com outro rapaz, pois não lhe deu a devida atenção.
Cheio de raiva e de coração partido ele sobe na moto acelerando mais a cada quarteirão até entrar no túnel… e acordar do coma quatro meses depois.
Contudo, recebe uma notícia que mudará para sempre sua vida, fazendo-o acreditar que ninguém o merece.

Será que os destinos de Rebeca e Karl vão se encontrar?

Após, muitas broncas de Suzy e noites mal dormidas Rebeca acredita ter encontrado o 13° namorado, mas e a felicidade? E sua salvação?
Não é possível, equivocou-se nas contas ou as charadas de Madame Nadeje eram só para confundir? Porventura sempre teve o livre arbítrio e esqueceu-se de usar?

O que acontecerá com Rebeca e sua salvação? E Suzy, Isra, Galib e Karl?

Um livro cheio de adrenalina, sentimentos fortes. A escrita é fluída, os capítulos são curtos e nos instigam a saber mais.
Emocionei-me bastante e fico feliz por ter a oportunidade de conhecer esta obra.IMG-20190717-WA0097

 

Eternamente Cecilia

Eternamente Cecilia

Boa noite! Trago a resenha do livro Eternamente Cecilia, escolhido para leitura coletiva de fevereiro organizada pelo ig @blogtemdetd e pela autora Elysanna Louzada.

Resenha:

Cecilia Agrizzi chega ao porto de Vitória em 1890, com seu pai Antônio e seus irmãos Angelo e Eustaquio. Porém, ela se perde de sua família por causa de um incidente e quase é atropelada por uma carruagem.
O senhor que estava na carruagem se oferece para leva-la a pousada.
Em meio a confusão a valise de Cecilia se abre espalhando seu conteúdo que é guardado às pressas.
Assim, que chega a estalagem Cecilia encontra seu pai, abatido e teme pelo pior. Por esse motivo, quando descobre que a joia da família que estava na valise antes da confusão sumiu, não comenta nada.
Após um tempo, eles seguem junto com os demais colonos para a fazenda Bela Vista, com o sonho de fazer a América.
A fazenda está sob o comando de Estela Dias, a viúva do Coronel Dias. Uma mulher arrogante, malévola, que tem fama de humilhar todos os empregados. Ela recebe os colonos como se fossem escravos.
Contudo, a chegada de Francisco, filho de Estela, jovem advogado, antiescravagista, sem experiência em cuidar da Fazenda, poderá mudar algumas coisas.
Os colonos ficam revoltados com as condições oferecidas, já que as mesmas não cumprem os contratos, e Francisco faz amizade com os colonos para que as coisas se acalmem.
Como seu pai piora ao se esforçar na lavoura, Cecilia se candidata a vaga de cozinheira no casarão, pois ganhará melhor para cuidar de seu pai.
Durante o evento no casarão a joia de Cecilia reaparece. Será que ela poderá reave-la?
Entretanto, o que Cecilia não sabia é que Francisco estava apaixonado por ela. E agora Cecilia irá se render ao charme de Francisco?
Para que esse amor floresça terão que enfrentar as armações de Estela e seu desejo de casar o filho com uma herdeira rica, além da desaprovação de Angelo, irmão de Cecilia.
Será que esse amor resistirá?
“Sua para sempre”.
“Seu, eternamente”.

Deus como chorei e sangrei com os personagens desse livro.
Enquanto lia, muitas lembranças de relato que escutei de meus avós e tios vieram a cabeça.
Venho de uma família com descendência em parte italiana.
As cenas da colônia, a forma como foram trazidos no navio… muitos vieram achando que teriam suas próprias terras, fugindo da guerra e da fome.
Como tive vontade de esganar Estela por cada maldade, por cada vez que humilhou as outras pessoas.
Apesar de todo o sofrimento, a ambientação é ótima. Cheguei a imaginar as roupas, carruagens, os talheres, utensílios…
Uma leitura cativante, muito profunda, cheia de reviravoltas. Impossível não se encantar.

IMG_20190224_230420_899

 

 

 

 

O Peso do Pássaro Morto – Aline Bei

O Peso do Pássaro Morto – Aline Bei

Bom dia! Hoje trago a resenha do livro O Peso do Pássaro Morto da autora Aline Bei, cuja leitura foi realizada de forma coletiva e organizada pela Bia do ig @bfaria25.

Resenha:

O livro retrata a vida de uma mulher dos 8 aos 52 anos, falando de suas perdas, suas lutas diárias e seus relacionamentos.
Essa mulher não possui nome e pode ser entendida como qualquer mulher que abnega de seus sonhos e de suas vontades para viver uma vida em função daqueles que a cercam ou a partir daquilo que a sociedade lhe impõe.
Ao ler a história observa-se que a sociedade enxerga a mulher como um ser criado para procriar, cuidar dos filhos, acompanhar de perto o desenvolvimento deles, a educação dos mesmos. E atualmente, além dessas tarefas, ela sai de casa para trabalhar ajudando a prover o lar, quando não faz isso sozinha.
Porém, ninguém enxerga que todos os dias muitas mulheres morrem inúmeras vezes, de forma metafísica, quando o filho adoece, o curso da vida apaga seus sonhos mais íntimos, perde alguém querido, muda sua forma de viver para permitir que os sonhos e desejos dos outros se realizem.

 

CYMERA_20181015_000835

 

Uma Jogada do Amor – Ruth Arnaldo

Uma Jogada do Amor – Ruth Arnaldo

Bom dia! Venho trazer a resenha do livro Uma Jogada do Amor da autora Ruth Arnaldo, cuja leitura foi realizada de forma coletiva e teve como organizadoras Rafaelly e Karine dos respectivos ig’s @sentimentosebooks e @qualaleitura.

Agradeço o convite das meninas e a autora por escrever uma obra tão linda!

Resenha:

Isadora é uma garota que mora sozinha e tem muitos sonhos.
Ela evita contato com outras pessoas, por causa de seus segredos do passado.
Sebastian é atleta, determinado, sexy e desejado por muitas garotas da faculdade.
Por um acaso do destino ou uma jogada do amor, seus mundos se chocam. Será que Isadora conseguirá mergulhar nesta relação? Seus segredos serão revelados?
A história deles promete emoções, cenas fortes, descobertas, amor.
Este livro tem todos os ingredientes para manter o leitor grudado em suas páginas do início ao fim!

 

CYMERA_20180901_135339

 

 

 

Na Frequência do Amor – José Roberto Moraes

Na Frequência do Amor – José Roberto Moraes

Hoje trago a resenha da obra Na Frequência do Amor do autor José Roberto Moraes. A leitura desta obra foi realizada de forma coletiva, organizada pela Rafaelly do ig @sentimentosebooks.

Resenha:

Miguel é um jovem tímido que prefere ficar no anonimato quando em sala de aula, e em casa gosta de ler e jogar. Porém, tudo em sua vida muda após enfrentar um valentão na escola, e por consequência conhecer Giovanna.

No começo se tornam bons amigos. Com o tempo, Miguel percebe que está apaixonado por Giovanna, mas não sabe se é correspondido. Sendo um grande desafio para Miguel descobrir os sentimentos dela por ele, além de necessitar esconder o resultado das ondas do amor sobre seu corpo.

O Miguel não esperava é que tudo o que sentia era correspondido com a mesma intensidade…

Essa história de amor é delicada, linda, com personagem cheios de vida com um amor que transpõem os limites do corpo.  Nela descobrimos que o amor pode ser muito poderoso.

 

 

CarolProsaeLetras compartilhou uma citação do Wattpad com você

Os Opostos se Distraem – Jussara Souza

Os Opostos se Distraem – Jussara Souza

Boa noite! Um pouco atrasado, mas trouxe um especial de aniversário do IG para vocês!

Começando pela resenha do livro Os Opostos se Distraem  da autora parceira Jussara Souza.

Resenha:

Após sentir-se incomodada com as constantes brigas com o marido, insatisfeita com sua vida profissional, a autora Jussara Souza entra em seu ano sabático.
Na obra “Os Opostos se Distraem” ela relata as experiências que obteve durante sua trajetória. Inicia quando mergulha em seu íntimo e aprende a lidar com os sentimentos e atitudes das pessoas que a cercam.
Todos os âmbitos de sua vida são transformados a partir de uma nova rotina, alimentação saudável, meditação, autoconhecimento e descoberta de seu propósito. Porém, ela afirma que todo o aprendizado deve ser exercitado diariamente para que não haja retrocesso.
Jussara é uma mulher de fibra, batalhadora, um ser humano em lapidação.
O livro é muito interessante e serve como parâmetro para aqueles que buscam melhorar a si mesmo.

 

CYMERA_20180802_224006